Corpus Christi

Solenidade de Corpus Christi, conhecida em Portugal como Corpo de Deus, é uma comemoração litúrgica católica que ocorre na quinta-feira seguinte ao domingo da SantíssimaTrindade, que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes.
A procissão pelas vias de Santo Antônio de Lisboa, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico, que determina ao bispo diocesano que a providencie, para testemunhar publicamente a adoração e a veneração para com a Santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo.

Tapetes de Corpus Christi

Os tapetes de Corpus Christi são uma tradição católica popular, que é comum em várias cidades do Brasil e Portugal, sendo confeccionados durante a celebração do dia de Corpus Christi. A prática, surgida em Portugal e posteriormente difundida no Brasil durante o período de colonização, consiste na confecção de representações de cenas bíblicas sobre as ruas em que a procissão da Eucaristia passará.
Os tapetes, em Santo Antônio de Lisboa, são tradicionalmente confeccionados de serragem e sal coloridos, empregam nos dias atuais uma gama de materiais, tais como borra de café, areia, flores, farinhas, dentre outros. Também é usual que se exibam adornos vermelhos nas janelas das casas por onde o cortejo passará.

Festa do Divino Espírito Santo

A origem remonta às celebrações religiosas realizadas em Portugal a partir do século XIV, nas quais a terceira pessoa da Santíssima Trindade era festejada com banquetes coletivos designados de Bodo aos Pobres com distribuição de comida e esmolas. Tradição que ainda se cumpre em algumas regiões de Portugal.

A celebração do Divino Espírito Santo no planeta teve origem na promessa da rainha, D. Isabel de Aragão, por volta de 1320. A Rainha teria prometido ao Divino Espírito Santo peregrinar o mundo com uma cópia da coroa e uma pomba no alto da coroa, que é o símbolo do Divino Espírito Santo, arrecadando donativos em benefício da população pobre, caso o esposo, o rei D. Dinis, fizesse as pazes com seu filho legítimo, D. Afonso, herdeiro do trono.

Essas celebrações aconteciam cinquenta dias após a Páscoa, comemorando o dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo desceu do céu sobre a Virgem Maria eos apóstolos de Cristo sob a forma de línguas como de fogo, segundo conta o Novo Testamento.

A devoção ao Divino encontrou um solo fértil para florescer nos territórios portugueses, especialmente no arquipélago dos Açores. De lá, espalhou-se para outras áreas colonizadas por açorianos, como em Santo Antônio de Lisboa.